feira moderna

25 setembro, 2005

Diga sim ao desarmamento!!!


O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?
Mulheres dizem SIM! Estamos cansadas das tragédias causadas por armas de fogo. Queremos segurança para nossos filhos e nossas famílias!· O Brasil é o país onde mais se morre com armas de fogo no mundo: mais de 100 pessoas são mortas e mais de 50 são feridas todos os dias. Por trás de cada morte há sempre a dor de uma mulher: mãe, esposa, irmã, namorada, avó...· Quem morre mais são os nossos jovens do sexo masculino. No entanto, quase metade dos homicídios de mulheres é cometida com armas de fogo.Sabemos que as armas de fogo não nos protegem – por isso não as queremos nas nossas casas!· A cada dia, duas crianças (de 0 a 14 anos) são hospitalizadas por acidentes com armas de fogo.. Com arma na mão qualquer briga pode acabar em tiros, agravando em particular situações de violência doméstica. A maioria de mulheres vítimas de homicídios, tentativas de homicídios, e estupro conheciam seu agressor. Acreditamos que o desarmamento irá salvar muitas vidas! · No Brasil, a lei de controle de armas (Estatuto do Desarmamento de 2003) já contribuiu para reduzir o número de mortes por armas de fogo em 8%: Em 2004, foram poupadas 3,234 vidas!· Em outros países (como Canadá, Austrália e Inglaterra) um dos primeiros e mais significativos resultados de leis de controle de armas foi a diminuição do número de mulheres mortas por um agressor armado.É absurdo pensar que não adianta fazer nada – somos formadoras de opinião, e podemos ter um papel ativo nas mudanças de que o Brasil precisa tanto!!!. Somos a minoria dos que têm e usam armas, mas sofremos as conseqüências da violência: também morremos, ficamos feridas, cuidamos dos outros, suamos para sustentar famílias, choramos os nossos mortos – e VOTAMOS!. Somos mais da metade dos que votam no Brasil e, por isso, nós é que faremos a diferença neste referendo.Digam SIM para a vida – SIM ao referendo do desarmamento!Vote 2 no dia 23 de outubro
Acompanhe a mobilização da campanha no site
Referendo Sim